OSTENTAÇÃO X GRAÇA

ostentacao-x-gracaTenho visto muitos jovens entrando na era da ostentação. Dinheiro, fama, sucesso e ganância. Músicas induzindo jovens e adultos a obter o que é mais caro – de marca – de fama. Gastam suas vidas nas tenebrosas manobras radicais, porém atados na ZONA DE CONFORTO. Meu pai sempre disse um ditado, que por muito tempo interpretei como pessimismo. Porém, esse é um alerta válido para corações que descansam e não se preparam para um problema. Ele diz assim: Quando tudo estiver dando certo, espera que tem algo errado.

Usar joias, colares, correntes de ouro e carros importados. Festas em mansões, amigos e muito dinheiro pra gastar. Será que não tem algo de errado com isso?

Mexendo nos livros do meu avô, que faleceu quando eu tinha apenas dois anos de idade, encontrei uma carta que ele escrevera para posteridade. Nessa folha já dilacerada – pelos 30 e poucos anos passados – consegui decifrar a história que meu avô deixou.
É um paralelo da riqueza quando de verdade somos pobres.

A história diz assim:
Numa furiosa tempestade no mar, um navio de emigrantes foi arrastado para longe de sua rota, e soçobrou perto de uma ilha desabitada. Os passageiros conseguiram escapar a nado para a ilha e salvar algumas coisas do navio, entre elas algum alimento, ferramentas e sementes. O solo da ilha era fértil e o clima ameno.
Não sabendo quanto tempo levaria para lhes vir socorro, os homens resolveram plantar as sementes imediatamente, sem perda de tempo. Antes disso, porém, um grupo de pessoas que tinha penetrado no interior da ilha, para ver os recursos que havia, avisou que haviam encontrado ricas jazidas de ouro.
Imediatamente se esqueceram de tudo o mais, mesmo da semeadura, e todos correram a cavar a terra em busca de ouro. Como se alegraram quando viram o monte de ouro bruto! Estariam ricos quando o navio de socorro viesse buscá-los.
Mas passou o verão e a horta ficou por ser feita. Demasiado tarde viram que haviam negligenciado a coisa mais necessária – sua provisão de alimento. Febrilmente puseram-se a lançar as sementes, mas chegou o inverno. O suprimento que tinham trazido do navio soçobrado acabou-se e na ilha não se encontrava alimento bastante para todos. Quando se tornavam cada vez mais fracos, seus olhos pousaram naquele monte de ouro. De que lhes adiantava agora que estavam à beira da morte? O mais rico tesouro do mundo não lhes servia de alimento agora.

Condição Humana

De verdade, na vida, tudo passa. Os momentos de glórias, os momentos de fracasso, os nossos sonhos e também o tempo de vida. Temos gastado tempo preocupado com o visual e estamos esquecendo do que realmente importa para a sobrevivência. Entenda, quando você faz uma parcela altíssima no seu cartão de crédito, comprometendo o dinheiro das suas contas e sustentos, você está esquecendo-se de plantar para conseguir o ouro. O que uma bolsa, um carro, um terno, um sapato serve, se na verdade você se aperta a ponto de passar fome? Talvez hoje essa fome não seja dos mantimentos que você precisa pra sobrevivência, mas sim, uma fome espiritual, algo que lhe falta na vida.

O alimento

A Bíblia relata a existência de um pão (1). O pão da vida. A Palavra de Deus nos serve de alimento, e de nada adianta riquezas nesse “mundo-Ilha” – de uma embarcação náufraga, se de nada vale o ouro e a prata.
Recentemente, numa conversa com uma pessoa totalmente apegada aos bens materiais, me disse claramente: não vejo a hora de ir para o céu, quero ter ouro e diamantes. A cobiça é algo terrível, a teoria do ter, ter e ter. Se você não tem uma faculdade, carro, casa, bens… você não é nada. O status produzido pelas coisas nobres da vida tem desviado muitas pessoas para o caminho da ostentação.

O Mandamento

Não existe um mandamento que te proíba de ser rico, mas existe um mandamento que diz pra você não ter outros deuses diante de Deus (2)! Tudo o que projetamos acima da nossa adoração a Deus é IDOLATRIA!

Tudo de Jesus era Emprestado

Um homem me procurou na semana passada e fez um pergunta interessante: por que Jesus não pecou? Na porta movimentada daquela clínica, respondi com uma pergunta: o que hoje você acha errado como um pecado? De cara ele se manifestou sobre o cenário político que vivemos. Copa, construção de estádios e precariedade nos hospitais.
Completou: muitos têm muito e outros bem pouco.
Respondi:
Jesus não pecou em relação a dinheiro porque Ele nunca precisou de nada material, a fim de nos provar que essas coisas desse mundo não valem nada.

Tipo assim:

1 – O berço que Ele usou na estrebaria, por acaso era dele?
Era emprestado!

2 – E o manso jumentinho, que em Jerusalém chegou montado e as coisas que recebeu pelo caminho, por acaso era dele? Era emprestado!

3 – E o pão – o suave pão, que foi por seu amor multiplicado alimentando a multidão
Por acaso era dele? Era emprestado!

4 – E os peixes que comeu junto ao lago e ficou alimentado, esse prato era seu? Era emprestado!

5 – E o famoso barquinho? Aquele barco em que ficou sentado Mostrando à multidão qual o caminho, por acaso era seu? Era emprestado!

6 – E o quarto em que ceou ao lado dos discípulos Ao lado de Judas que o traiu
Por acaso era dele? Era emprestado!

7 – E a sepultura, que depois do calvário foi usada, de onde havia de ressuscitar.
Por acaso era dele? Era emprestado!

Ele poderia ter sido rico, se desviado do propósito, ter aceitado todas as riquezas que Satanás lhe propusera após seu jejum de 40 dias. Ele não aceitou!

O Homem ironicamente me disse:
– Ahhh, então pra sermos salvos, temos que ter tudo emprestado, longe de bens materiais?

Minha resposta:

Pra sermos salvos, precisamos CONHECER A DEUS. Isso que fez a diferença na vida de Jesus que se prostrou diante de um mundo, querendo ser um exemplo provando que nada material nos salva, a não ser a graça. Rico ou pobre, se você conhece a Deus acima dos seus bens, a graça te basta!

Conclusão

Se você conhece a Deus, Seus planos, Seus mandamentos, Seu Amor… você passa a plantar na beira da praia seu sustento, esperando a volta do seu Salvador! Sua plantação pode prosperar, ter muito resultado, com o foco que você está nesta ilha de passagem, que você aguarda o Salvador.

Não caia no papo de quem disser “ali tem ouro fácil”, vamos pegar.

Fraco espiritualmente, sem alimento, você não conseguirá entrar na Grande Embarcação.

O que está sendo mais importante pra você?

Orarei por sua decisão.

Com estima Cristã,

Roberto Passos

Clique aqui e baixe gratuitamente o livro A Única Esperança

Referência Bíblica:
1 – Êxodo 20 – Os dez mandamentos
2 – João 6 – História de Jesus

Assista ao vídeo “Jesus é Melhor – Fábio Brasiliano”

The following two tabs change content below.
Nasceu em São Paulo, na cidade de Barueri. Atualmente reside na cidade de Cotia, próximo da Grande São Paulo. Destacou-se com a qualidade de diversos trabalhos na internet por seu profissionalismo e dedicação. Adventista de berço, colabora significativamente em projetos missionários da sua área de atuação.

Latest posts by Roberto Passos (see all)

Receber lindas mensagens do site